sábado, 29 de agosto de 2015




                       OUVI-NOS SENHORA NOSSA


Senhora da Paz, nossa querida mãe, de coração aberto, mas  rasgado pela dor e sofrimento, eu vos suplico que com carinho, ternura e amor, lances teu olhar protector sobre teus filhos, dispersos por esta terra além, onde progride a injustiça, a violência e o desprezo pela vida humana tão esquecida e abandonada, gente inócua, mansa, mas escravizada, desgastada pela injustiça, pelas forças do mal, pelos fazedores das guerras, por grupos de malfeitores inconscientes, sem respeito pelo seu semelhante e irmão que para eles é algo despido de interesse, mercadoria sem qualquer valor.
Senhora Nossa, ouvi a minha súplica, para que intercedas perante o Senhor e faças de novo ecoar, por esses seres  abandonados, subjugados e martirizados, o hino da paz, da concórdia e que acabem as guerras, a violência entre os povos para que, este oásis terreno se transforme num lugar acolhedor, de esperança e de fé onde possamos encontrar o caminho da glória, do triunfo e da salvação.

                                                                            29AGO2015                    

                                                                               Z.ROCK           

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

        PERDIDO NO LUAR



             Vejo teu cândido rosto
             Brilhar entre as estrelas
             Que, flutuando no éter,
             Criam beleza e vida,
             Aos meus sonhos, esparsos,
             Nesse mar longínquo,
             Sumido, silencioso,
             Onde o tempo passa,
             Passa, passa, passa,
             Sem um murmúrio de dor,
             Mas pleno de luz, calor e amor.

             Teu grandioso e altivo porte,
             Num olhar doce e delicado,
             Associado à tua eterna beleza 
             Que embalada num seio,
             Sedento, perturbante,
             Me cria um atroz sofrimento,
             Uma dor, uma mágoa, um padecer,
             Uma extasiada saudade,
             Cruel, amarga, inerte,
             Ao meu pobre e inditoso ser.

             Mas, como no rolar dos tempos,
             Há sempre uma esperança,
             Que desponte e se manifeste
             Para acordar, na voragem dos tempos,
             Minha alma, perdida, amargurada,
             A fim de me iluminar o trilho,
             Que terei de vencer
             Para atingir o sucesso,
             O caminho da tua luz,
             Que irá exaltar o meu crescer....
                                           13AGO2015
                                               Z.Rock 

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

      

AOS COMBATENTES

A esse grupo anónimo de heróicos militares, hoje classe esquecida, quase denegrida, que lutaram, em terras estranhas situadas  próximas do coração, com amor, paixão e humanidade, para a salvação e engrandecimento do nome da sua Pátria Lusa e de todas as suas gentes, independentemente da sua raça, origem, cor, credo ou política, pois o seu objectivo único era a manutenção da paz entre os homens, seus irmãos, filhos sagrados de Deus, vou passar a dedicar alguns dos meus poemas que, espero, cumpram fielmente o  meu desejo que é poder criar laços eternos de muito respeito por aqueles que, com orgulho, deixaram espalhadas, por esses lugares e  suas gentes muito queridas as sementes preciosas do seu saber e da sua mocidade, para os fertilizar e engrandecer.
Assim o meu blog, a partir de hoje também é vosso, pois vou dedicar-lhe todo o meu conhecimento e sentir para a todos poder enaltecer:
              
        “ternuraepoesia.blogspot.com”

17AGO2015

PROSA 


AOS GRISALHOS DESTE PAÍS


Outrora calorosos combateram,
Lutando para honrar seu Portugal,
E com muita paz e amor venceram,
Exaltando esta Pátria genial.

Agora, vergados ao seu passado,
Deixaram de fazer parte da história,
Neste universo Luso mal tratado,
Por políticos de curta memória.

Essa grisalha e valorosa gente,
Enalteceu  dum modo genial,
O seu “berço” amado, seu ideal,

Souberam lutar na linha da frente
Com fero patriotismo agastado,
Hoje grito dum tema abandonado.

16AGO2015
Z.ROCK




ALBERT EINSTEIN
Nasceu em Ulm, Württemberg, na Alemanha, em 14 de
Março de 1879 e faleceu em Princeton, a 18 de Abril de
1955. Considerado um dos mais notáveis físico e mate-
mático recebeu em 1921 o Prémio Nóbel da Física, pelos
seus trabalhos no campo da teoria quântica (efeitos fo-
toeléctricos). Pelos estudos que apresentou em 1915,
concluiu que o sonho de construir uma arma nuclear
se tornaria em breve uma realidade.
É famosa a relação que criou entre massa e a energia
E=mc2
Além de ser considerado o pai da Teoria da Relativida-
de foi escritor e pensador notavél. Vejamos alguns escri-
tos que nos legou:

- Olha-se à forma...
Não se olha ao sentimento.
Olha-se para as prateleiras
Sem ver o que está lá dentro.


- Tudo é possível fazer ou ser na vida
até que alguém duvide e me prove o contrário.
- A mente que se abre a uma nova ideia
jamais voltará a ter o tamanho original.

- A coisa mais bela que podemos experimentar
é o mistério, pois essa é a fonte de toda
a arte e ciência verdadeira.
Albert Einstein